sexta-feira, 3 de junho de 2011

Algia pélvica ou " dores no pé da barriga"




A dor pélvica é um dos sintomas que mais atingem (e preocupam) a mulher, sendo responsável por quase um terço das queixas nos consultórios de ginecologia. Suas causas, porém, não se restringem apenas aos órgãos genitais internos (útero, tubas e ovários), podendo envolver também o aparelho urinário (ureteres e bexiga), os intestinos, além dos ossos, articulações, músculos e nervos situados na metade inferior do tronco. Por haver quase uma centena de causas para a "dor no baixo ventre", desvendar a sua origem torna-se, algumas vezes, um verdadeiro desafio ao tirocínio clínico do médico, requerendo deste uma minuciosa investigação do problema. 
  • A maneira como se instala a dor (aguda, crônica ou cíclica); 
  • Sua intensidade (forte ou fraca, interferindo ou mesmo impedindo as atividades cotidianas); 
  • A forma como é percebida pela paciente (em pontada, em fisgada, em queimação, em peso, em cólica, etc.); 
  • Sua relação com o período menstrual (antes, durante, após, ou no meio do ciclo);
  • Sua associação (ou não) com as relações sexuais;
  •  A presença (ou ausência) de outros sintomas como febre, corrimento vaginal, dificuldade para urinar, diarréia, prisão de ventre, aumento do volume abdominal, entre outros, nos fornecem pistas valiosas sobre o órgão afetado, orientando o nosso raciocínio para o diagnóstico correto. 

Nas dores agudas (de início súbito) e de intensidade progressiva, existe sempre a possibilidade de tratar-se de uma emergência cirúrgica (apendicite, torção de cisto ovariano, ruptura de uma gravidez tubária); 

As dores periódicas, associadas a um determinado momento do ciclo menstrual, podem ter significados variados que vão desde as conhecidas cólicas que acompanham o fluxo - e que atormentam a vida de 50% das mulheres em idade fértil -, até as que se apresentam no meio do ciclo, em peso, que não duram mais que 48 horas, típicas e coincidentes com a ovulação. 

As dores crônicas (de instalação lenta e com episódios recorrentes há mais de seis meses) podem ter origem nas vísceras pélvicas, nas estruturas ósseas (articulações da coluna lombar) e na parede abdominal (hérnias). 
Duas entidades, porém, devem ser sempre cogitadas nesses casos: aderências e endometriose
  • Aderências (ou bridas peritoneais) são como cicatrizes internas que se formam após a inflamação dos tecidos (infecções ou cirurgias no passado). Essas ?cicatrizes?, como o próprio nome indica, fazem com que órgãos vizinhos fiquem colados uns aos outros (por exemplo, o ovário adere ao intestino; ou o intestino à bexiga ou à parede do abdome), provocando estiramentos, compressões locais e ... dor. 
  • A endometriose, por sua vez, resulta da implantação de um tecido semelhante ao que forra o interior do útero (endométrio) em lugares onde, em princípio, ele não deveria existir, como na superfície dos ovários, atrás do útero, etc. Como o endométrio, este tecido sangra durante as menstruações, provocando inflamação, tumores císticos e ... aderências(!). Classicamente, a dor da endometriose é cíclica inicia-se antes da menstruação e se intensifica com a chegada desta (sangramento). A cada ciclo a dor é mais intensa. Com o passar do tempo ela pode se tornar contínua, sendo agravada pelas relações sexuais. 
Na maioria das vezes, a causa da dor pélvica na mulher pode ser esclarecida clinicamente; isto é, por meio das informações prestadas pela paciente, pelas evidências encontradas no exame físico e pelos resultados dos exames complementares (sangue, urina, ultra-som, etc.).
Por último, não podemos deixar de mencionar a dor de origem psicossomática - expressão sutil de profundos conflitos emocionais que povoam as inúmeras vertentes da condição feminina -, que requer especial atenção dos ginecologistas.

Fonte:Artigo inscrito por Dr. Carlos Antônio da Costa TEGO 035/79

Para maiores informações, marque uma consulta com um ginecologista pelas centrais de atendimento :
  • Climeo - 93 3518 1472
Dra. Sáuria Okamoto
  • Clínica e Hospital Menino Jesus - 93 3518 0232
Dr. Francisco

5 comentários:

  1. o ter relações sexuais venho tendo fortes dores.
    mas a ultima vês que tive não aguentei foi intensa demais e estou dolorida já dois dias e dores fortes entre o útero e o abdome.o que sera?

    ResponderExcluir
  2. doutor a algum tempo ja venho centindo uma dor no pe da barriga ela aperece do nada as veses eu amanhesso bem e derrepente começa uma dorzinha bem leve que vai aumentando ate chegar ao ponto de doer quando eu caminho ou cento sei que não e colica porque e muito dificil quando eu mentruo
    as veses eu fico ate 6 meses sen menstruar tomo antisconcepcional regularmente durante 21 dias dou a pausa de 7 dias e mesmo asim não menstruo ja fui a varios medicos e eles cempre dizem que e normal. mas eu sei que não e normal se foce não teria essa dor. me ajude a esclarescer isso por favor porque eu ja estou ficando preocupada (ass. sandra)

    ResponderExcluir
  3. Oi,

    Tenho uma dúvida! Essa manhã quando estava a tomar o pequeno-almoço, dei-me um dor forte e aguda no fundo da barriga, fiquei sem reacção por uns bons e longos segundos. Mas no dia 10 deste mês fiz o exame do papinacolau.

    ResponderExcluir
  4. Oi,
    tenho uma duvida! desde de sabádo tou com dor no pé da barriga..essa dor ta me encomodando ja faz 5 dias q eu estou com a mesma dor e não passa..Dr me responda uma coisa q posso está gravida?
    não tenho me cuidado muito beem,não tenho me previnido pq eu eo meu marido queremos um filho..mais no mês de agosto no finalzinho do mes começou a vir pra mim como eu sinto muita dor menstrual tomei 5 anticoncepcional ai minha menstruação descontrolou ai vinha pra mimn um dia sim outro dia não ai veio ate o cemecinho de setembro ate o dia 5 mais ou menos ai depois não veio mais...agora em outubro comecei a sentir essas dor no pé da barriga o q pode ser??

    ResponderExcluir
  5. venho sentindo fortes dores pélvicas parece que algo vai sair pela minha vagina as vezes a melhor posição pra ficar é de pé porque as dores são muito fortes não sei oque fazer e apareceu um corrimento com mal cheiro que parece que estou todo tempo feita xixi me ajude não aguento mas sofro com isso a 2 ANOS no período de 1 mês pra cá as dores tem sido mas constante

    ResponderExcluir